terça-feira, 30 de abril de 2013

O lado histórico de uma Coimbra estudantil


         A cidade de Coimbra, localizada na zona centro de Portugal, é considerada a terceira principal cidade do país. Tendo obtido oficialmente a sua carta foral a 26 de Maio de 1111, por D. Henrique, a sua história está muitas vezes ligada a grandes marcos históricos de Portugal. Com o passar dos anos, Coimbra foi crescendo, mas perdeu muita visibilidade com o desenvolvimento em força de Lisboa e do Porto. Actualmente, é vista como a cidade dos estudantes, mas podemos encontrar muitos locais históricos que mostram uma Coimbra que vai para além desta denominação.

Da baixa, passando pela alta e chegando à universidade

         Iniciando esta visita histórica pela cidade, a zona entre a baixa até à universidade é um dos locais preferidos pelos turistas que a visitam. A baixa é caracterizada pelo seu comércio local, onde podemos encontrar um conjunto de lojas e cafés tradicionais que fazem relembrar uma Coimbra antiga. No mesmo local, podemos ainda encontrar a Igreja de Santa Cruz, que tem o estatuto de Panteão Nacional. Quando subimos para a alta, encontramos um local mais residencial, com as suas ruas estreitas e casas típicas. Durante esta subida, encontramos a Sé Velha, local de visita obrigatória. Já na zona da Universidade, encontramos inicialmente o Museu Machado Castro, onde se pode visitar as ruinas da cidade, e a Catedral de Coimbra, também conhecida por Sé Nova. Por fim, encontramos a Universidade, o ponto de referência da Cidade.

A história na outra margem do rio
          
         Na outra margem do Rio Mondego, temos outros locais históricos da cidade. Dois desses locais são os Mosteiros de Santa Clara-a-Velha e de Santa Clara-a-Nova, locais históricos com uma ligação forte à Rainha Santa Isabel, figura histórica da cidade. A Quinta das Lágrimas é um local histórico que tem como elemento-chave a ligação com a natureza. Este ficou emblemático através da história de D. Pedro e Inês de Castro.

João Pedro Rodrigues

Viagem entre Linhas

http://www.youtube.com/watch?v=3vUtYb1NrWY&feature=youtu.be

Ana Mota

Pod cast - Parque Verde Coimbra

http://youtu.be/_lGum15z9do

Eduardo Fortunato

Infografia_ Mercado D. Pedro V

Infografia sobre o Mercado Municipal D. Pedro V situado no centro de Coimbra.

Mercado title=

Por: Diogo Sousa

terça-feira, 23 de abril de 2013

Conhecendo Condeixa-a-Nova...

Vida animal-Etosha National Park Namibia

Infografia - Ceira

Por: Eva Pina

Condeixa-a-Nova, Habitantes e suas Freguesias

Condeixa title=
easel.ly

Por:
Soraia Pinheiro

Condeixa-a-Nova, um passado com História.


Condeixa-a-Nova situa-se na Região Centro, a 15 quilómetros de Coimbra. Os cerca de cinco mil habitantes caracterizam esta vila com toda a sua vivacidade. É conhecida devido à sua parte histórica como as Ruinas de Conímbriga, o Palácio Sotto Mayor entre outros marcos históricos.



Ruinas de Conímbriga
Conímbriga situa-se na via que ia de Olisipo, actual Lisboa, a Augusta, actual Braga. Foi ocupada pelos romanos durante as campanhas de Décimo Junio Bruto, em 139 a.C.. No reinado do imperador César Augusto século I, foram construídas, na cidade Romana, o Fórum e as termas públicas.

Ilustração 1 - Ruinas de Conímbriga




A Praça
O antigo Terreiro da vila, passou a ser chamado de Praça da República após a sua fundação.
A Praça era e, continua a ser, sempre o local mais importante da vila. Realizava-se o mercado bissemanal, acontecimento que durou até à década de 1980.

Ilustração 2 - Praça



A Igreja Matriz
Igreja de estilo manuelino, mas, acaba por abranger vários estilos. Datada do século XVI, destacam-se, na Igreja Matriz, os elementos renascentistas das capelas laterais, a pia baptismal e o túmulo de D. João Franco de Oliveira. 



Ilustração 3 - Igreja Matriz



Palácio Sotto Mayor
Construção de plano setecentista, mostra uma fachada ladeada por dois torreões quadrados, complementados por telhados piramidais.
Tem uma capela, dedicada a Nossa Senhora da Piedade.
Durante os séculos XVIII, XIX e XX, o palácio alojou algumas das mais importantes figuras do país, como D. João VI, D. Miguel I, D. Maria II, D. Pedro V, o Rei D. Carlos e o escritor Alexandre Herculano.


Ilustração 4 - Palácio Sotto Mayor




Rádio Regional do Centro
A Rádio iniciou a sua atividade em Maio de 1990, no seguimento do processo de legalização das rádios locais. Apostou numa matriz popular e de proximidade, o que lhe conquistou audiências e o apoio da comunidade. Os primeiros estúdios localizaram-se na Avenida Visconde de Alverca, no centro da vila de Condeixa-a-Nova. Cerca de três anos depois do começo das emissões, inaugurou novas instalações, construídas de raiz para o efeito, na Quinta Nova, a caminho das Ruínas de Conímbriga.

Ilustração 5 - Rádio Regional do Centro





Soraia Pinheiro





Praias com Bandeira Azul

cbandeira title=
easel.ly

Por: Mélanie Oliveira

terça-feira, 16 de abril de 2013

Viagem entre Linhas

Viagem entre Linhas

songsestao title=
easel.ly



Ana Mota

Coimbra - Monumentos

População Mealhada

JoanaPopulaoMealhada title=
easel.ly


Joana Amado

Colocações na Universidade de Coimbra nos últimos 3 anos

colocaesnauc title=
easel.ly
por: Fátima Pereira

Infografia Parque Verde Coimbra

Parque Verde do Mondego Infografia

M2Parquemondego2 title=
easel.ly

Eduardo Fortunato

Lince Ibérico infografia

 Infografia Lince Ibérico

mealslinceibericoghh title=
easel.ly


Por: Cristiana Peres

Império dos PCs

computadores title=
easel.ly

Por Amy Gois

terça-feira, 9 de abril de 2013

Entre Linhas


Mesmo no centro da cidade de Coimbra, junto de vários pontos turísticos e emblemáticos desta cidade, situa-se a estação ferroviária “Coimbra-A”. Também conhecida por Estação Nova, foi inaugurada a 18 de Outubro de 1885, contando assim com 128 anos de existência.
Por se encontrar na cidade dos estudantes, esta estação serve de ponto de chegada de muitos jovens, que vindos de vários pontos do país enchem a estação nos dias de partida e de chegada.
Ultimamente as greves da CP (Comboios de Portugal) têm sido uma constante, o que tem afectado tanto os estudantes que necessitam de se deslocar entre a sua cidade natal e a cidade universitária, como a população em geral que utiliza esta estação diariamente.

Mondego Transborda com tanta chuva



Os terrenos do Baixo Mondego, desde Coimbra em direcção a Montemor-o-Velho, ficaram bastante afectados pelas cheias e chuvas intensas da última semana de Março de 2013. A grande subida do caudal do Rio devido às frequentes chuvas, inundou vários campos agrícolas, o que para muitos agricultores trouxe um prejuízo enorme pois viram as suas plantações cobertas por água durante dias visto que a chuva da semana passada saturou os solos mas a subida das águas do rio veio agravar a situação. Várias estradas no Baixo Mondego foram cortadas e algumas zonas residenciais ficaram também completamente alagadas.

Na cidade de Coimbra as duas margens do rio ficaram submersas, o Parque Verde ficou parcialmente de baixo de água durante dias, só com a paragem das chuvas o caudal do rio pôde baixar e assim o nível do rio voltar quase ao normal. No entanto alguns estragos e prejuízos ficaram para trás.

Este é um problema que já se repetiu várias vezes ao longo dos anos, no entanto, ainda não existem soluções a vista.

Eduardo Fortunato

Bairro Norton de Matos



Bairro Norton de Matos
Um bairro calmo e tranquilo, onde as pessoas são simpáticas e além disso tem uma ótima localização.
Situada perto do CoimbraShoping, com vários restaurantes e cafés, perto do Estádio, Dolce Vita, dos Bombeiros, da Makro, perto de várias escolas e ainda tem paragem de táxis. Ainda tem vários transportes públicos que passam por esse bairro como: o 24T, 5T, 24, 11, 37, 34, etc. Podemos encontrar também farmácias, pastelarias, padaria, papelarias, mercearias, centro de saúde, cabeleireiros e barbeiros, muitas lojas de informática, gelataria e todos os sábados se faz a feira dos ciganos.
Bairro Norton de matos é uma das zonas mais habitadas de Coimbra e faz parte da freguesia de Santo António dos Olivais.




 Por: Jocelyne Carvalho

Bandeira Azul na costa portuguesa



A bandeira azul, concedida pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), é atribuída todos os verões às praias que cumpram os critérios pedidos. Desses critérios fazem parte a informação e educação ambiental, a qualidade da água, a gestão ambiental e de equipamentos e a segurança e serviços, podendo ser atribuída não só a praias, mas também a portos de recreio, marinas e embarcações.
Pela costa portuguesa fora, a bandeira azul tem vindo a premiar cada vez mais praias, uma vez que em 2011 foram galardoadas 271 praias (fluviais e costeiras) e em 2012, quatro novas praias ganharam esta distinção, num total de 275. Na zona centro, praias como o Osso da Baleia, que tem vindo a ser galardoada há já nove anos consecutivos, a Cova Gala, a Leirosa ou até mesmo o Pedrógão centro têm vindo a poder hastear nas suas praias esta bandeira que representa um símbolo de qualidade ambiental.
Para a próxima época balnear estão oficialmente abertas as candidaturas à recepção deste galardão.



Mélanie Oliveira