sábado, 31 de dezembro de 2011

A EDP devolve o Mundo do Circo a Coimbra

A EDP, como já é constante nos últimos anos, devolveu no dia 17 de Dezembro o mundo extraordinário do circo à cidade de Coimbra. Este "Circo de Natal" foi planeado para todos os colaboradores da EDP e dos seus familiares. Um serão imperdível para todos.



A entrada dos palhaços era a mais esperada pelas crianças.




Os palhaços despertaram mil sorrisos em toda a plateia, desde pequenos a graúdos.





As pessoas não conseguiam para de acompanhar os movimentos dos artistas.



As senhoras "dos arcos" e "da bicicleta", como foram apelidadas, provocaram momentos mágicos no serão familiar.




Malabarismos e ilusionismos despertaram aplausos de todos os presentes no espectáculo.



As crianças aproximavam-se o máximo que podiam de modo a ter oportunidade de tocar nos animais.





Talentos à parte, os animais foram quem mais fascinaram os "pequeninos" da plateia.


Mais uma vez, a EDP proporcionou momentos de descontracção, divertimento e felicidade a todos os presentes. O espectáculo terminou assim com vários pedidos, dos mais pequenos, aos pais para um futuro regresso ao Mundo fantástico do circo.

Inês Silva, R1

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Alunos do primeiro ciclo de todo o país competem em concurso online de árvores de natal

http://soundcloud.com/m-nicaribau/alunos-do-primeiro-ciclo-de

Mónica Ribau
R 2

Bento XVI apela paz na Nigéria

Após os atentados no dia de Natal contra igrejas católicas, o Papa Bento XVI invoca paz e segurança no país africano, Nigéria, enunciando que a violência leva «apenas à dor, à destruição e à morte».




Mais de 30 pessoas faleceram, no domingo, devido aos atentados no centro e nordeste da Nigéria contra os dogmas da igreja católica. Os confrontos foram feitos por uma seita radical islâmica, Boko Haram.

«Quero manifestar a minha solidariedade para com aqueles que foram atingidos por esse gesto absurdo e convidar à oração pelas muitas vítimas», disse o papa na oração do Angelus.

O papa lamentou que «muitos cristãos no mundo sejam expostos a perseguições», declarando que «como na Antiguidade, a adesão sincera ao Evangelho pode exigir o sacrifício da vida».

 
 
Mariana Gonçalves
R2

Espírito Natalício sobrevive

Com a crise que o país tem atravessado, este ano muitas pessoas tiveram um Natal mais pobre.
Porém, o espírito natalício mantém-se nas casas portuguesas, que não deixam a esperança de um mundo melhor morrer.

 Fig.1 Decoração Natalícia

Fig. 2  Árvore de Natal

Fig.3  Adorno Natalício


 Fig.4 Boneco de Neve

Fig.5 Enfeites de Natal

 Fig.6 Decorações da árvore

Fig.7 Árvore de Natal e presépio

 Fig.8 Decoração de Natal

Fig.9 Presépio

 Fig.10 Decorações

Fig.11 Decorações Natalícias

Fotos: Filipa Lopes
 
Por Filipa Lopes
Redacção 1

O Robin dos Bosques cibernético

Nesta época natalícia, o grupo de piratas informáticos, ‘’Anonymous’’, resolveu atacar uma empresa de segurança norte-americana Stratfor. O grupo de hackers anunciou que roubou inúmeros e-mails, palavras-chave e pins de cartões de crédito da empresa.





Os Anonymous conseguiram entar no sistema de uma empresa de segurança norte-americana, a Stratfor, acedendo a mais de 200 GB de informações pessoais e confidenciais. Nesta empresa encontram-se diversos clientes, individuais e empresas, sendo alguns deles o Governo dos EUA, Apple e Microsoft.

O grupo decidiu usar os dados de cartões de crédito roubados e fazer doações a várias instituições de caridade, no valor de mais de um milhão de dólares.

 
Após a invasão dos hackers, a empresa com sede em Austin alegou que já suspendeu as operações nos seus servidores e e-mails e que o ataque não teria impacto nas entidades que têm uma relação com a empresa.

Mariana Gonçalves
R2





segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Natal transmontano


Por Tiago Rentes.R2

Três dimensões


O 3D está a ganhar terreno, durante muito tempo apenas era possível apresentar conteúdos 3D no cinema, em ecrãs de grandes dimensões, com óculos rudimentares. Hoje em dia até uma simples televisão ou consola permitem ao espectador ver as imagens com profundidade.

A primeira projeção 3D estreou em 1922, num teatro em Los Angeles com o curta “The Power of Love”. Ressurgiu na década 1950 com mais sucesso, mas no início a tecnologia era muito rudimentar e desconfortável para o espectador. Inicialmente os filmes em 3D usavam imagens com duas camadas de cor numa única tira. O filme era reproduzido por um projectoe. Uma das camadas era vermelha e aoutra azul ou verde. As lentes dos óculos 3D faziam com que um olho captasse a secção vermelha da imagem e o outro a azul ou verde. Devido á diferença entre as duas imagens, o cérebro interpreta-as como uma imagem em três dimensões.
Nos dias de hoje em vez de se usar cores para filtrar as imagens, a maioria dos sistemas utiliza a polarização, as lentes polarizadas captam apenas ondas de luz que são alinhadas na mesma direcção, num par de óculos 3D, cada lente é polarizada de forma diferente, um filme em 3D costuma utilizar dois projectores, direccionando cada projector para cada olho. As próprias técnicas de filmagem mudaram e  permitem estimular mais intensamente a percepção do espectador, pois as imagens têm profundidade e movimento mais reais.
No futuro para além do sentido da visão e audição, é espectável que  também o olfacto possa completar os filmes, tornando a ficção cada vez mais real, tornando-nos mais do que simples espectadores, passando a fazer parte do próprio filme.
Em 2004 o filme “O Expresso Polar” marcou a nova era 3D,  surgindo então uma alavanche de filmes autilizando esta tecnologia . Em 2009 o  filme Avatar bateu recordes de bilheteira, sendo o filme com maior vendas da História.

Filmes em 3D exigem custos elevados. A execução de uma produção cinematográfica 3D filmada em live-action, em que existem pessoas e objectos reais com pontos que capturam movimentos e que quando focados por uma câmera é possível visualizar ,em tempo real, o mundo real transformado em mundo virtual, exige grande quantidade de recursos. Deste modo, filmes capturados com esta técnica, como o recente Tintim, são ainda escassos sendo que grande parte das produções em 3D são criadas na pós-produção.

Catarina Rodrigues, R1
(tema: cinema)

domingo, 25 de dezembro de 2011

Windows 7 ou Mac OS




Esta é provavelmente a questão que mais tem perturbado o comprador aquando da compra de um novo dispositivo de hardware. A Microsoft anteriormente não tinha que se preocupar com a concorrência da Apple, mas a chegada de Steve Jobs pela segunda vez à empresa que o havia despedido, marcou um ponto de viragem na supremacia de Bill Gates.
Comecemos então pelo factor que hoje mais do que nunca se encontra na ordem do dia: o preço. Graças à liberalização do comércio os PCs tornaram-se gradualmente mais baratos, enquanto que a Apple, possui toda a linha de produção desde o fabrico até à distribuição. Os Macintosh são comparativamente mais caros que os PCs devido ao controlo total que exercem na sua linha de produtos. Quanto à versatilidade dos sistemas, uma das críticas apontadas aos computadores da Apple era a sua incapacidade em suportar outro sistema que não o Mac Os, sendo essa lacuna já completamente ultrapassada.
O Mac OS destaca-se pela sua clara simplicidade na óptica do utilizador já que facilita os processo não sendo necessários muitos programas para efectuar uma qualquer acção rotineira. Outro aspecto salientado pela crítica especializada é a questão do design. A Apple tomou como politica o desenho das suas máquinas vanguardistas. Inovador em todos os aspectos seja com a inclusão do monitor na torre central, ou o mais recente Ipod que catapultou a empresa para a recuperação económica, o design ajudou a Apple a se diferenciar dos PCs.
Existe o mito urbano de que o sistema operativo Mac OS era imune a qualquer tentativa de invasão por parte de hackers, quer fosse através de vírus ou spyware. Devido à sua crescente popularidade os hackers conseguiram maneira de se infiltrar neste domínio da Apple, por isso o argumento que não existem vírus para Mac é falso. Em relação à fiabilidade do hardware, está provado que seguindo uma utilização normal, o produto Apple resiste mais à passagem do tempo.
Concluindo comprar um produto Apple pode custar um pouco mais no início, mas a longo prazo esse investimento irá compensar, tanto a nível de software como hardware.

José Tiago Silva Ferreira

Natal da família Ferreira


Começamos a celebrar a época festiva um pouco mais cedo, ou seja dia 23 rumamos à famosa noite do Mercado. Antigamente utilizava-se este dia para realizar as últimas compras, (couves, alface, e as famosas tangerinas), no entanto, o significado alterou-se dando lugar a uma noite de reencontro com os amigos que não vemos há algum tempo.
De vez em quando as bombas artesanais, lá nos pregam uma partida, obrigando a um movimento involuntário (pulo), derramando um pouco da bebida tal é o barulho ensurdecedor.
Na véspera de Natal, dia 24 é o dia de reunião com a família. É nosso costume visitar duas tias-avós, que se esmeram especialmente nesta quadra, construindo uma lapinha (presépio) com cerca de 2 metros de altura por 3 de comprimento, onde encontrar o menino Jesus torna-se particularmente difícil depois de provar a aguardente caseira com vários sabores desde laranja, tangerina e morango. De seguida a família reúne-se na casa de um tio, previamente combinado, com uma mesa recheada das mais variadas iguarias, não faltando a “canjinha” de galinha. É nestas ocasiões que se ouvem os tradicionais: “Está tão grande!” ou mais recentemente “ Engordou um bocadinho.” Tendo uma família numerosa, contando com 8 tios/tias, cerca de 20 primos, multipliquem isto por 2, com os respectivos companheiros/as, imaginem a corrida infernal por um pedaço de comida. O dia de Natal propriamente dito é muito mais calmo, pois almoçamos em casa, cozinhando no dia anterior peru ou porco, deixando-o no forno em lume brando de maneira a se tornar mais saboroso. De seguida com a barriga confortada, é hora de revisitar aquele clássico da televisão “Sozinho em casa”, não importa a versão, mas atenção desde que conte com o Macauly Culkin no papel principal.
No dia 26 é a primeira oitava, feriado na Madeira, dedicado no meu caso à visita da casa da minha avó. Neste dia organizamos uma pequena troca de prendas, repete-se a mesa recheada de iguarias, e o meu avô prepara uma grande taça de salada de fruta, aviso não aconselhável a diabéticos. Esta é também uma oportunidade de derrotar os mais velhos num jogo de cartas conhecido como a “bisca” onde segundo eles conta muito a experiência. Muito simplesmente, pois há toda uma ciência por detrás do jogo, consiste em arrecadar o máximo de pontos possíveis, ficando o baralho de cartas ao meio, retirando sempre uma carta após uma jogada. Como é um jogo de equipa, degladiando-se três contra três, é muito frequente passarem-se sinais através de trejeitos na face, ocorrendo-me frequentemente que o meu avô estaria a ter um AVC, apesar de ser completamente proibido este tipo de sinalética. Neste dia declara-se oficialmente o fim da quadra natalícia, aguardando ansiosamente a chegada de outro evento muito importante na Madeira: o fim do ano. 

José Tiago Silva Ferreira

Bento XVI vai visitar Cuba

Monsenhor José Felix Perez, responsável pela Igreja Católica em Cuba, anunciou no dia 8 de Dezembro que o Papa Bento XVI visitará o país pela altura de Primavera.
Por Maria Inês Antunes, R2

Dez anos depois da visita de João Paulo II a Cuba com o intuito de quebrar a tensão entre a Igreja Católica e o regime de Fidel Castro, segue-se agora Bento XVI que, Monsenhor José Felix Perez acredita ir dar “força e vigor à fé em Cuba”.
O objectivo da visita é reafirmar a fé entre os estimados 60% de católicos da ilha, como afirma a Rádio Renascença. O catolicismo é praticado de um “modo bastante modificado pelas crenças tradicionais dos cubanos” e a visita do Santo Padre pretende reafirmar a verdadeira tradição religiosa. Ricardo Alarcón, presidente do Parlamento Cubano, esclareceu que esta visita seria considerada motivo de grande alegria e felicidade para os cubanos.
Apesar de Cuba ser considerado um estado laico desde 1992, a fé reacendeu com a presença do Papa João Paulo II em 1998 e Bento XVI pretende seguir as passadas do seu antecedente.

Dia Internacional das Montanhas


No passado dia 11 de Dezembro de 2011 festejou-se o Dia Internacional das Montanhas. Promovido pelo Município de Oleiros, em parceria com a Naturatejo, “entre paisagens ricas de antiguidade e as riquezas estranhas da Terra”.
            O programa contou com uma palestra sobre “Arqueologia nas Montanhas de Oleiros”, pelo Dr. João Caninas (Associação de Estudos do Alto Tejo), com um tributo ao Padre António de Andrade, “primeiro europeu no tecto do Mundo”, com uma visita guiada à Arte Rupestre de Oleiros e às Minas do Cavalo “Memórias do Volfrâmio”. À hora de almoço os participantes foram convidados a provar os “Sabores da Montanha”. No final deste dia o Natal na Montanha surpreendeu as pessoas com um clássico de Natal na Igreja Matriz de Oleiros, pela Orquestra Típica Albicastrense.
            Foi com grande satisfação que uma plateia repleta ouviu temas natalícios tradicionais portugueses e do Mundo, os quais ecoavam, numa acústica de excepção, por aquele valioso imóvel religioso datado do século XVI. O Natal de Oleiros  ficou assim mais enriquecido e imbuído do mais genuíno espírito beirão.

Soraia Tomaz, 2010090
r2

Mortágua: «Show» de presépios até 8 de Janeiro


Decorre desde o passado dia 13 de Dezembro a quarta edição do “Natal com as Associações” no Centro de Animação Cultural de Mortágua, vila do distrito de Viseu.

O Município lançou às Associações do Concelho o desafio de exibirem os presépios por elas construídos pelo quarto ano consecutivo, e estas, novamente, não falharam. Este ano foi proposto que a construção dos presépios fosse relacionada com a temática da Floresta, sendo mais uma forma de o Município assinalar o ano Internacional da Floresta.


A exposição constitui-se por 18 presépios, o número idêntico às Associações participantes, que retratam de uma forma simples, mas bastante original e criativa, o retábulo do nascimento do Menino Jesus. Para construir a gruta, as figuras e o cenário envolvente, foram aproveitados materiais mais diversos e de distintas espécies florestais, tais como troncos de madeira, raízes, cascas, ramos, pinhas, folhas, caruma, rolhas, bolotas, sementes, etc… Este evento demonstra que é bem possível, com bastante dedicação, imaginação e criatividade, elaborar presépios interessantes, originais e de uma grande beleza, reutilizando materiais, poupando recursos e preservando a Natureza. Alguns presépios denotam um trabalho artístico muito pormenorizado e necessitam de uma observação atenta aos mais pequenos detalhes, convidando à curiosidade e à descoberta.


A Exposição é bastante apelativa e quem a visitar certamente irá ficar estupefacto com a originalidade e criatividade das Associações mortaguenses. 


O evento irá decorrer até ao dia 8 de Janeiro de 2012 e tem o seguinte horário: das 14h00 às 17h30 nos dias úteis, das 20h00 às 21h30 aos Sábados e das 15h00 às 21h30 aos Domingos.













Xavier Vaz, R2

A arte de passar música - entrevista ao Deejay Tha Silva


Tudo começou de uma simples brincadeira, hoje já sonha ser reconhecido além-fronteiras. Bruno Filipe da Silva Veloso, conhecido por DeeJay Tha Silva começou a aprender a passar música aos 16 anos. Natural de Leiria, tem crescido profissionalmente trabalhando em vários bares e festas e partilhando a cabine com DJ’s mais experientes. A conversa com Bruno Veloso dá-nos ideia de como é ser artista profissional nesta área.


Posts de Pescada- Como é que te tornaste DJ, o que te motivou?

Bruno Veloso - Tudo começou com uma simples brincadeira, estava com um tio meu, ele trabalhava num bar e ele trabalhava com leitores e sempre me despertou curiosidade. Então ele ensinou-me as bases  e depois eu conheci um colega meu que é Dj residente no bar Ozono, comecei a treinar lá, puxou mais o meu interesse, comecei a pesquisar na net tudo sobre leitores, mesas de mistura, programas, músicas… Tudo começou assim…

PP- É fácil entrar no meio? Foi fácil arranjar o teu primeiro emprego como DJ?

BV - O meu primeiro emprego foi no bar Ozono, o tal DJ residente foi tocar a uma casa e como eu já era mais experiente ele deixou-me tocar como DJ convidado. Estive lá a passar sons, gostaram do meu trabalho, fui convidado mais vezes.  Não é muito fácil entrar no meio… diz-se que há DJ’s profissionais e há os “wanna bes”, os que têm a mania que são DJ’s. Para um trabalho ser reconhecido o DJ tem de fazer o trabalho de casa. Tento estudar as músicas que passam, o estilo de música… Eu por exemplo passo comercial, progressivo… e é muito trabalho de casa.

PP - São essas as vertente que tendes a seguir?

BV - Sim, House Comercial, porque adoro, e é a vertente mais puxada a nível mundial e House Progressivo que é mais aquele estilo de festivais.

PP- Já foste residente em algum bar ou discoteca?

BV - Já fui residente em dois bares. Já fui residente no Ozono, durante um ano, e já fui residente também no Oxo, fui lá residente durante seis meses.

PP - Tens algum DJ que sigas, que seja o teu ídolo, te inspire?

BV - A nível nacional posso dizer que é o Pete Tha Zouk e Mastiksoul. Pete Tha Zouk porque ele toca o estilo Progressivo e estudo o trabalho dele, gosto do trabalho dele, tento puxar o máximo do trabalho dele para o meu, tento ver a maneira como ele passa as músicas, e o Mastiksoul porque é um estilo mais Latin House, estilos mais Latinos e Afros, também gosto desses estilos de música.

PP - Como é tentar agradar ao público, como sabes qual a música certa naquele momento?

BV - É complicado, estudar a pista é muito complicado, é como olhar para os olhos das pessoas e pensar assim “aquele grupo de rapazes, aquele grupo de raparigas gosta deste estilo de música” tento puxar… se não resultar tento outro, vou sempre escolhendo , sempre atirando músicas. E normalmente a minha pista preferida, posso dizer assim, é as raparigas, normalmente toco para as raparigas.

PP - O que consideras mais difícil nessa profissão e o que te dá mais gosto?

BV - O mais difícil é entrar com certas e determinadas músicas para agradar o público e puxar sempre esse estilo de música. O que me da mais gosto é o público puxar por mim e eu a puxar pelo público.

PP - Qual era o teu maior sonho nesta profissão?

BV - O meu maior sonho é ser principalmente reconhecido nacionalmente e quem sabe internacionalmente. Ando agora a estudar o mundo da produção, tenho profissionais ao meu lado, a puxar por mim…

PP - Consideras que um DJ é um artista?

BV - Considero, porque as próprias produções de cada DJ são uma obra de arte. Então se sair como Hit… está tudo dito!

Catarina Rodrigues, R1
(tema: arte)

Religião na Televisão

Fundada a 1953, a Rede Record, canal generalista brasileiro, é a mais antiga emissora televisiva do país. «TV Record. 500 quilômetros a frente. Canal 7» foi o slogan que muitos ouviram quando este canal abriu sinal para todo o país. Paulistana de coração e generalista desde que nasceu, brinda todos os brasileiros, e agora, todo o mundo, com programas de entretenimento, informação e... religião. Mas esse mais recente capitulo deste canal só chega a 1989. 
Hoje é considerada a segunda televisão com mais audiência a nível nacional e internacional.
Presente em África, Ásia e Europa, a Record é sem dúvida um grande monopólio de poder que facturou em 2010 cerca de 2.7 biliões de reais a mais que em 2009.

Fundada por Paulo Machado de Carvalho, e comprada a 1989, pelo Bispo Macedo da Igreja Universal do Reino de Deus (IURDE), deixou muitos de boca aberta até hoje. Esta polémica compra foi dividida por dois nomes, onde o Bispo detém 90% do capital, e a  sua mulher os outros 10%.
A Rede Record manteve assim toda a programação e esta até foi estudada de modo a chegar a mais pessoas para gerar ainda mais lucro. Foi também com esta compra que a Rede Record consolidou a sua posição de concorrente número 1 da tão famosa Rede Globo.

Catedral Mundial da Fé da Igreja Universal
do Reino de Deus no Rio de Janeiro
Contudo, vários processos são movidos contra esta Igreja. Durante 32 anos de existência desta, ela sempre rejeitou todas as suspeitas de corrupção, mas elas nunca desapareceram e suspeita-se que estarão para sempre ligadas a esta instituição, onde o Ministério Público de São Paulo acusa até hoje, o fundador, Bispo Edir Macedo, e outros nove membros, de associação criminosa e lavagem de dinheiro.

Processos à parte onde o Bispo foi acusado de fraude, este prometeu não ter influência directa no canal, no entanto, quem liga hoje neste canal, a partir da meia-noite vemos o dedo "religioso". Homens a atender chamadas de pessoas à procura de salvação, de ajuda e de perdão. 
Todos sabemos hoje o dinheiro que gira à volta desta Igreja; uma Igreja que está presente em mais de 200 países e leva milhares de fieis a esgotar estádios de futebol ou pavilhões enormes, que só ficam cheios em dias onde grandes nomes da música lá actuam. Porém, toda esta  salvação e toda esta cura que a IURDE promete está à disposição de todos, mas mais ainda, à distância de uma "pequena" oferta monetária.

Ricos e pobres seguem esta igreja, mas fiéis desta ou de outros credos, continuam a ligar a televisão neste canal. E esse crédito não podes tirar a um canal que promete informação actualizada e de todos os cantos do mundo, a possibilidade de canais internacionais e programas de entretenimento a toda a hora.

Vanessa Sofia, R2

Tema Tecnologia: Um Natal nada tradicional

Hoje em dia, os Natais são recheados de iphone’s, iphod’s, ipad’s e claro, de “ipaid’s”.

Penso ser extraordinário, na situação de crise em que nos encontramos, que as pessoas consigam gastar tanto dinheiro em prendas, enfeites e todos os outros pormenores natalícios. Já lá vai o tempo em que as famílias se uniam junto à lareira, cantavam canções e as únicas prendas que trocavam eram camisolas tricotadas pela avó e cartões de natal feitos pelos mais novos. Nesta época, palavras como família, amigos e partilha deviam primar sobre outras como festa, prendas e dinheiro, o que nem sempre acontece.

 Os presentes mais desejados são na sua maioria os aparelhos mais actuais, as tecnologias mais rápidas e os instrumentos electrónicos mais sofisticados. Tudo o que envolve tecnologia é moderno e novo, atributos indispensáveis na nossa sociedade consumista ocidental. Durante o ano fechamos os olhos às últimas novidades, às “pedinchisses” dos mais pequenos com a promessa de que mais tarde “logo se vê”. Porém, como podemos nós resistir a tantas promoções e descontos que, ao fim e ao cabo, foram realizados de propósito para nós? Uma grande oportunidade, quase um favor, para que as pessoas que não podem comprar os produtos com o preço original, tenham agora a hipótese de se deleitarem com eles.

Ela é campanha de Natal Vodafone, onde um Nokia C5-03 passa de 159,90 euros para 89,90 euros, ela é campanha Sony Natal da Worten, em que um Kit Home Cinema fica a 399,00 euros outrora a 679,00 euros…

Enfim, uma data de descontos, quase uma cortesia da parte das grandes marcas, já programados com o propósito de os acharmos uma “pechincha”. É claro que elas sabem que dificilmente conseguiremos comprar um conjunto de artigos de cinema por quase 700 euros! E claro que também sabem que, ao vermos um desconto de quase 300 euros no produto que tanto queríamos, vamos de imediato comprá-lo!

O Natal já não é o presépio, a árvore e o bacalhau tradicional, servido na noite de consoada. O Natal é, agora, um simples momento de troca de prendas onde o valor simbólico é esquecido e substituído pelo monetário.

Fontes: http://www.worten.pt/ProductList.aspx?oid=3&c=Promotions

https://loja.vodafone.pt/homephone/CatalogoTelemoveis.htm?c=3&gclid=CJeA-PrCna0CFWIntAodRBTdlg

http://forum.vodafone.pt/t5/image/serverpage/image-id/1271i0F95981726A45E5C/image-size/original?v=mpbl-1&px=-1
Inês Silva, R1
Tema: Tecnologia

Presépio dos Bombeiros Sapadores de Coimbra

                                                                                                          Sónia de Almeida Valério, R2


Presépio dos Bombeiros Sapadores de Coimbra